23 janeiro 2008

1ª Ciranda de Textos sobre Jornalismo Online: uso jornalístico das linguagens

Este post faz parte da primeira edição brasileira do Carnival of Journalism - Ciranda de textos sobre jornalismo online. Veja o guia de leitura desse mês no blog do André Deak.


Rue89: um caso interessante

Juntamente com as possibilidades multimidiáticas, a mídia digital trouxe para o jornalismo o desafio de saber usá-las e formatá-las. Ou seja, o que (e como) deve ser texto, áudio, imagem estática ou em movimento, gráfico, desenho? Um exemplo interessante do uso das linguagens é o Rue89, site francês que ainda não fez um ano, mas já tem 1 milhão de visitantes únicos por mês (marca da semana passada).

Com o formato de um blog de três colunas - conteúdo no miolo hierarquizado apenas por ordem cronológica -, um menu horizontal, ancorado pela web2.0, o Rue89 compõe a matéria como um post com texto, áudio, vídeo ou infográficos. Talvez seja um resultado do sistema de publicação, mas exatamente por isso é bem interessante comparar com os formatos que estão se institucionalizando na internet - o NYTimes.com, o Lemonde.fr ou o Elmundo.es, onde tem-se matérias relacionadas ("Related", "Lire" ou "Además") quadros onde aparecem as seções de vídeo ou infográficos ("Multimedia", "Voir", "Débattre").

Isso quer dizer que as balisas mais fortes ainda são as linguagens, ao invés do caráter jornalístico. Exemplificando: uma citação em texto escrito não poderia ser trocada por áudio ou vídeo no corpo do texto? É isso que está experimentando o Rue89.

A matéria "Les petites télévisions veulent briser leurs chaînes", do último dia 13, ilustra. O site substitui citações entre aspas "falas filamdas" - pequeno vídeo com 2 perguntas em escrito e as respostas da fonte (no Daily Motion). Um infográfico não animado ao lado do texto (no miolo) para ilustrar o mapeamento da situação dada no texto escrito. O texto escrito é o eixo do conteúdo, enquanto esses formatos servem a alguns propósitos.

As perguntas suscitadas: para que serve o áudio, jornalisticamente falando? qual força tem o vídeo? uma fala fica melhor em vídeo, aúdio ou texto? o que isso implica jornalisticamente, ou seja, para a tradução da realidade?

O Rue89 começou com 2o mil euros, 4 jornalistas experimentados (o criador é Pierre Haski) que se demitiram do Libération e mais 5 outros profissionais. Vale a pena conferir!

5 comentários:

Carlos d'Andréa 19:29  

Olá, Lia, muito interessante o case e seu post.

Debatendo as questões que você coloca no final, é interessante notar que as mídias não são excludentes, mas complementares. É possível limitar-se ao texto impresso, pois eles antecipam uma aspas da fala disponível em seguida em vídeo ou áudio, o que, imagino, é suficiente para boa parte dos leitores apressados.

Abs
Carlos

Ana Brambilla 09:25  

Olá, Lia! Obrigada por compartilhar esse belo exemplo de jornalismo online com a Ciranda!

O estilo de organização do Rue89 me lembrou a revista Fórum, recentemente lançada pelo Núcleo Casa, aqui da Abril, apenas em meio digital.

http://casa.abril.com.br/arquitetura/revista/002/index.shtml

Eles jogem infográficos animados com vídeo, texto, fotos, declarações em áudio. Realmente muito interessante. E desafiador!

grande abraço!

Lia Seixas 23:23  

Olá, Carlos,
sim, concordo, as mídias são complementares e isso é ótimo!
é verdade, há um período q introduz falas de vídeo e áudio...mas será mesmo q serve a leitura apressada ou o contrário? (tomara q tenha entendido bem teu texto)
Obrigada pelo comentãrio!
Abraço.

Lia Seixas 23:32  

Oi Ana, obrigada pelo comentário!
Bacana, a revista...achei muito interessante o uso do mouseover para os quadros. Enquanto está lendo as informações no texto, se quer ver o gráfico ao mesmo tempo, vc escolhe....parece que se adequam bem a essa função...
Abraço.

Cuc'aberta 20:21  

Oi Lia!
Respondendo o seu questinamento, acho q fazer uso de todas estas ferramentas juntas ajuda a acabar com a idéia de "manipulação" da mídia. Unindo som, filme, foto e texto, é uma grande aproximação da realidade de um fato.
Acho muito interessante este mix.

Site dedicado ao estudo dos gêneros jornalísticos. Criado durante nossa tese de doutorado, 2005. Esse novo layout abre um novo ciclo de estudo, pesquisa, descobertas sobre esse tema tão caro à prática jornalística e ao conhecimento sobre o jornalismo.

  © Blogger templates Brooklyn by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP